segunda-feira, 25 de julho de 2011

Amy Winehouse

[Postado por Walmir Lima]

Amy Winehouse

Estou chocado, apesar de ter sido uma morte esperada. Enfim, ela conseguiu o que perseguia: Uma vida meteórica – curta, mas cheia de brilho!

Minha nora, Flávia, que é DJ, discotecou a abertura do show dela no Brasil e ficou muito abalada. E eu também. Tive, nessa ocasião, a oportunidade de conversar um pouco com Amy. Era uma moça doce em seu interior, mas aprisionada em um destino fatídico que só ela acreditava existir, levada que foi pelas más (diria: péssimas) companhias.

Lamento muito, mas espero que sua morte (aos apenas 27 anos!) não tenha sido em vão. Que sirva para mostrar à juventude que, como eu, com certeza, admira sua bela voz, que o caminho das drogas, a despeito de parecer dissimular a angústia, só nos leva a cruzar o umbral do inferno, só nos leva à destruição, só nos leva a perder a alegria e a fortuna - a alegria e a fortuna da juventude, a beleza e a fortuna da vida!


Parafraseando uma de suas músicas, eu diria:

Com as drogas,

‘Live (Love) is a loosing game’

.

3 comentários:

Jorge Lemos disse...

Walmir amigo

Seu sentimento de pesar, especialmente por ter tido a oportunidade de a conhecer pessoalmente, emociona. Chego a uma conclusão: estamos cercados e não preparados para os horrores deste mundo moderno. A arte se perdendo pela falta de um educação rigida, como a falta tambem do preparo para a escalada de sucesso que se apresenta. Estamos fartos de contemplar que perolas estão sendo lançadas aos porcos. Em qualquer atividade, seja artistica ou esportiva, o despreparo para o sucesso leva sempre para fins trágicos como o da Amy.
Preocupa-me ainda mais a falta de sensibilidade da humanidade ao ver
a fome em portas do mundo, ceifando vidas no coração da Africa, local de onde partiu a raça do Homo Sapiens. Sapiência aonde?
Tristeza
Abraços Lemos

olhar disse...

uma pena mesmo...e foi tão rápido.

É o preço que pagamos pelas escolhas erradas que fazemos...

Bia

Flavio Ferrari disse...

Nem sempre é uma escolha ...