quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Pensamento de final de ano

[Postado por Flavio Ferrari]

O duro de ser fatalista
É sofrer de antemão
O que talvez nem exista

3 comentários:

Udi disse...

Apesar de não ser a autora, eu dedicaria essa postagem à Glaura, com quem acabei de falar... Mas como eu a entendo! Também já fui assim, e talvez ainda seja um pouco ...mas só um pouco!

Anne M. Moor disse...

Tbm já fui assim. Mas há muiiiiiiiitos anos, num momento ruim, caiu em minhas mãos um livro do Dale Carnegie - Como parar de se preocupar e começar a viver - e uma das coisas daquele livro que me bateu muito foi "não perca tempo preocupando-se com coisas que podem nunca acontecer".

Hoje, não totalmente, pratico isso com afinco.

Glaura disse...

Minha querida Udi,
como saber se estamos sendo fatalistas ou realistas?!
Seja como for, vou tentando ao menos aproveitar o que tem vindo a cada dia...
Um grande beijo