quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Para António

[Postado por Ernesto Dias Jr.]

O amigo António Tapadinhas manifestou, lá no Assertiva curiosidade a respeito de alguns candidatos brasileiros nas eleições que se aproximam, dando como exemplo o Fernando Gabeira.
Em seu benefício (e de outros estrangeiros), publico aqui o homem em dois momentos.


Um em 1979 quando, voltado do exílio, escandalizou os mais conservadores com sua tanguinha de crochê. Outro no momento atual, já deputado federal.
Nos anos 60 Gabeira era porra-louca por inclinação e terrorista por opção. Perpetrou o mais espetacular ato da esquerda brasileira à época, sequestrando o embaixador americano no Brasil, Mr. Elbrick. Como resultado as cadeias da ditadura libertaram um bando de presos políticos. Todos deportados para Cuba. Entre eles José Dirceu, item que Gabeira deve lamentar até hoje.

Mas que não se engane o amigo de além-mar. Fernando Gabeira amadureceu, sua inteligência e integridade venceram o infantilismo político da juventude e hoje é um dos políticos mais respeitados e respeitáveis deste país. O que não é pouca coisa.
Por fim, digo que é o unico representante da esquerda brasileira pelo qual ainda tenho admiração e respeito.

12 comentários:

Walmir Lima disse...

Ernesto,
Nós dois vivemos aqueles momentos e endosso cada palavra que você escreveu.
Hoje tenho a maior admiração e respeito pelo Deputado Fernando Gabeira, um exemplo de amadurecimento - dele e meu.

mini excavator parts disse...

ok. I found an information here that i want to look for.

A.Tapadinhas disse...

Chapeau! Todos nós temos uma dose de loucura que temos de utilizar no decorrer das nossas vidas. Desconfiai daqueles que não a utilizam enquanto jovens!
Fernando é o meu candidato!
´-)
Abraços.
António

Érica Martinez disse...

Assinado embaixo!
Acho que o filme "O que é isso, companheiro?" retrata o episódio do sequestro do embaixador (se não me engano). Vale muito assistir; o elenco conta com Fernanda Torres, Pedro Cardoso, entre outros, de primeiríssima!

Érica Martinez disse...

PS: tanguinha LUUUUUUUUUUUUUUXO!

Anne M. Moor disse...

E será que estamos enfim aprendendo a votar??????????

Ti disse...

Ernesto,

Nada como um porra louca amadurecido para enfrentar o terrorismo das favelas do RJ..

Seria uma ótima opção!

Udi disse...

Anne: estou quase convencida que atualmente temos que aprender a não votar.

António: faço coro com a Érika na recomendação do "O que é isso companheiro?" O Gabeira é o jornalista interpretado pelo Pedro Cardoso e que tem um affair com a personagem intepretada pela Fernanda Torres.

Aproveito a oportunidade para te esclarecer sobre um outro candidato, melhor dizendo, candidata. Trata-se da Marta Suplicy que ficou connhecida do grande público no início dos anos 80 quando tinha um quadro num programa de TV que revolucionou o conceito de programas matutinos dirigidos ao público feminino. Nesse programa, ela tinha um quadro onde respondia cartas de mulheres com dúvidas sobre como conhecer e se relacionar com seu próprio corpo.
Esse quadro chamava-se Conversando sobre Sexo e era muito bacana de ver como ela trazia para a luz - através da maior emissora de TV do Brasil - todo um repertório (orgasmo, masturbação, clitóris, etc) até então completamente ausente da mídia e do vocabulário da maioria das mulheres. Da mesma forma, ela introduziu o termo "sexóloga" como uma atividade profissional séria.

Atualmente, em sua ganância por ser eleita para a prefeitura de uma das maiores cidades do mundo, ela insinua (em horário nobre na TV) que seu adversário na disputa pela vaga é homossexual.

Este é o outro lado da moeda, o contraponto do exemplo do Gabeira (que nunca estranhei, nem no passado, menos ainda hoje).

Este é um daqueles casos em que vemos que o tempo nem sempre contribui para melhorar as pessoas.

Udi disse...

Em tempo: no Rio de Janeiro, onde Gabeira disputa vaga para a prefeitura, os partidários da Marta apóiam o candidato adversário dele.

Não Somos Apenas Rostinhos Bonitos disse...

Quem de nós nunca teve os seus desvarios?
Adoro ele pela honestidade com que se conduz!
Beijocas,

A.Tapadinhas disse...

Udi, Érika: Vou procurar esse filme "O que é isso, companheiro?" para perceber melhor do que estão a falar... Golpes baixos contra adversários políticos sempre vão acontecendo. Acho que ninguém resiste... e quem resistir é santo e se calhar vai pregar para o deserto.
Beijos.
António

Flavio Ferrari disse...

Olha ... aquela tanguinha de crochê pegou mal lá na Móoca ...