sábado, 21 de março de 2009

Momento Zen II-a

[Postado por Udi]

(antes de prosseguir)

Há algumas semanas fiz uma postagem de título “Momento Zen – I” onde transcrevi trecho de um livro de autor tibetano, Sogyal Rinpoche, em que ele introduz o conceito de meditação.

Ainda nessa mesma postagem dizia que tinha a intenção de prosseguir com transcrições desse autor que – em minha opinião – descreve numa linguagem acessível a experiência da meditação.

A receptividade da blogaldeia à postagem foi maravilhosa e, dentre os vários comentários, havia o do António (Tapadinhas) que remeteu a uma idéia descrita pelo Sogyal Rinpoche num momento do livro anterior ao que eu já havia transcrito. Por isso, decidi alterar a sequência de textos que havia planejado postar inicialmente para ilustrar, com um trecho do mesmo livro , o que o António havia  comentado sobre sentir sua pintura como uma forma de meditação

Nessa segunda postagem ("Momento Zen II"), citei um trecho onde o autor ainda não descrevia a meditação em si, apenas introduzia o conceito daquilo que chama de “natureza da mente”: a natureza essencial da mente não é aquele turbilhão de pensamentos no qual já nos acostumamos a permanecer cotidianamente. A natureza essencial da mente é, sim, aquele vislumbre de plenitude que sentimos ao apreciar uma canção, uma paisagem, uma obra de arte... e, apesar de ser uma sensação desperta a partir de uma atitude de contemplação, não impede que seja associada de forma análoga ao “estado meditativo” para que – quem nunca meditou – pudesse entender, ainda que de um jeito simplificado, o estado da mente meditativa.

Então, esclareço: contemplação e meditação são atitudes diferentes... a contemplação necessita de algo externo para despertar uma “sensação” (na verdade, o acesso à natureza essencial da mente), enquanto na meditação, você se coloca (com muito treino e muita disciplina, sim!) em uma postura tal que te possibilita conduzir a mente à sua natureza essencial.

(FF: espero ter esclarecido as suas questões)

Foto da ilustração: detalhe de uma mandala tibetana feita de areia colorida daqui


25 comentários:

Udi disse...

...vocês também estão lendo o post em letras enoooormes?! não sei por que ficou assim...

Flavio Ferrari disse...

Grande palavras de uma grande mulher...

Camisinha.com disse...

udi,

contemplar e meditar...


mais uma lição
de vida!

.

rm disse...

Ei Udi,
bastante didática e esclarecedora a postagem. Mas, afinal, você vai contar sua experiência pessoal ou não? rss

(E claro que vou dar um jeito de esculhambar, né? O efeito "medidativo" é obtenível inclusive quando a música é ruim e a pintura pior? rss)

Udi disse...

FF: ufa! saí do looping!
:)
Te agradeço por sempre apontar a possibilidade de que posso fazer melhor, querido Mestre!

Udi disse...

Camisinha,
lição? ...não era essa a intenção, mas se prá você está bem assim, então ótimo, valeu a intenção.
bj

Udi disse...

Ei moço,
talvez saia... só uma questão de desapegar do ego...

(cê num esculhamba nada!)
;)

Walmir Lima disse...

Oi, Maria Udi,

Obrigado por mais essa postagem
super interessante.

E obrigado, tambem, por manter o Prozac Café ativo pra nós. Afinal, praticammente só você tem postado ultimamente.

Um beijão

Walmir

Walmir Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Udi disse...

Oi Walmir, eu é que agradeço o seu prestígio e incentivo de sempre.
beijos

Walmir Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rm disse...

Ué, o que houve com o Walmir? O disco (LP ou vinil para os mais velhos) tá arranhado? rss

Anne M. Moor disse...

Thanks Udi...
Então qdo dizemos estar meditando estamos tentando 'conduzir nossa mente à sua natureza essencial' que é???????? Pensar??? Refletir??? É isso Udi??? Hellllllllllllllp...

Udi disse...

Érre... pensei em soluço, mas essa imagem também tem a ver (...risos!)

Udi disse...

Oi Anne,
se você for ao "momento zen II" poderá encontrar mais detalhes mas aqui mesmo netse "...zen II-a" você encontra:
A natureza essencial da mente é, sim, aquele vislumbre de plenitude que sentimos ao apreciar uma canção, uma paisagem, uma obra de arte...

beijos

Udi disse...

Anne: relendo percebo que não havia entendido sua pergunta quando respondi acima. Creio que a resposta à sua pergunta (segundo a linha de raciocíno que estou seguindo, ok?) seja: meditar. Meditação é, como diz o Sogyal Rimpoche, trazer a mente de volta para casa.
bjs

Anne M. Moor disse...

Gostei! Trazer a mente de volta pra casa... Que figura mais genial Udi. THanks...

Udi disse...

Anninha, eu que agradeço a receptividade e interesse.
bjs

A.Tapadinhas disse...

Criei um díptico a que chamei Yin Yang (já fiz uma postagem com ele) e, agora, com o curso "Momento Zen", ministrado pela Udi, tenho andado a "meditar" num quadro, díptico, tríptico, o que for, traduzindo estes belos momentos... Vamos ver, se não passará de projecto...
Beijo.
António

Amanda Arthur disse...

Hummm. 'Intindi'. Legal.
E, by the way, que liiiinda esta mandala. Fiquei aqui a contemplá-la antes de ler o post...
Beijo e ótima semana, Udita!

Udi disse...

António: vou lá correndo no "Sem margens..." procurar esse díptico. ..
Afe! será um privilégio você abrir mais uma possibilidade de acompanharmos seu processo de criação! (que bênção!)

Udi disse...

Amandita-linda! (o Theo melhorou?)

E não é uma maravilha a contemplação?!

beijos

Érica Martinez disse...

demorei mas cheguei:

é por isso que fechamos os olhos...

Bjo da gafanhota!

Udi disse...

Florzinha-gafanhota: cê tá me saindo melhor que a encomenda!
beijo

Udi disse...

Queridos todos: do fundo do meu coração, agradeço esse carinho confesso que quem se sente mais aprendendo sou eu.

beijos