domingo, 1 de março de 2009

Momento Zen - I

[Postado por Udi]

Passei o carnaval com mais 99 pessoas (prá vocês verem que não foram poucos os "malucos" que fizeram a mesma opção que eu) em um retiro de silêncio e meditação. 

Para uma iniciante como eu, uma experiência desse tipo é muito difícil de ser colocada em palavras e, sendo esta uma prática milenar, qualquer coisa que se diga, sempre haverá alguém que já disse igual senão melhor. Então, para poupá-los da minha prolixidade e pouca habilidade com as letras, encontrei um autor (prá mim, um mestre) que – por ter sido criado por monges tibetanos e também por sua experiência de convívio com o mundo ocidental – descreve de forma muito clara e acessível essa experiência incrível que é a meditação.

O autor chama-se Sogyal Rinpoche e este trecho que escolhi é de um livro que estou lendo, cujo título é “O livro tibetano do viver e do morrer”. Segue:

“Via de regra desperdiçamos nossas vidas distraídos do nosso eu verdadeiro, numa atividade sem fim; a meditação é o caminho para trazer-nos de volta a nós mesmos, onde podemos realmente experimentar e provar nosso ser completo, além de todos os padrões habituais. Nossas vidas são vividas em intensa e ansiosa luta, num turbilhão de velocidade e agressão, competindo, apegando-nos, possuindo e conquistando, sobrecarregando-nos sempre de atividades irrelevantes e de preocupações. A meditação é o exato oposto disso. Meditar é interromper por completo o modo como “normalmente” operamos, em benefício de um estado isento de cuidados e tensões em que inexiste competição, desejo de posse ou apego a qualquer coisa, sem a luta intensa e ansiosa, sem fome de adquirir. Um estado desprovido de ambição onde não cabe nem o aceitar nem o rejeitar, nem a esperança nem o medo, um estado em que lentamente começamos a libertar-nos das emoções e dos conceitos que nos aprisionaram, até chegarmos a um espaço de simplicidade natural.”

Na medida do possível, pretendo fazer novas postagens com trechos que complementam esta introdução do autor no capítulo “Trazendo a mente para casa”.

20 comentários:

rm disse...

Ei Udi,
apesar de me considerar um medíocre materialista-cartesiano (ou talvez, por isso mesmo) sempre senti forte atração por experiências, digamos, metafísicas...

Espero que na sequência você não nos poupe de eventual prolixidade e do seu jeito muito bom com as letras, e nos conte da sua experiência pessoal, que intuo deve ter sido muito intensa.

Anne M. Moor disse...

Udi,
Que lindo... Será possível isso???

Beijo grande

Udi disse...

Ei moço, (que foto é essa?!)
tem uma síntese que eu já te adiantei em um comentário lá no "Venenos,..." mas, talvez com um pouco mais de meditação eu consiga me tornar menos prolixa e organizar melhor o pensamento prá compartilhar com os amigos dessa experiência que eu desejo prá todos. (...mediocridade tá bem longe daí, mas putz! como você é exigente consigo mesmo!)
Obrigada pela audiência (...risos!)
:)

Anne querida: está ao alcance de todos, pode ter certeza.

beijos

A.Tapadinhas disse...

Sempre que leio um texto como este, digo para mim próprio: Que pena não ter tempo para aprofundar estes conhecimentos... Era o mesmo que eu dizia antes de começar a pintar! Há uma hora certa para tudo o que fazemos...
Beijo.
António

Udi disse...

Oi António,
Que bom você por aqui!
Do que eu aprendi (e apreendi), a sua pintura já é uma forma de meditação que não só te coloca em estado meditativo como também desperta no apreciador da tua obra a capacidade meditativa da mente.
(se tiver oportunidade, postarei um trecho do Sogyal Rinpoche em que ele fala sobre isso)
beijo

Amèlie disse...

Foi breve, mas gostei do nosso papo aquele dia! Td bem que o RMau foi um péssimo anfitrião. Risos.....

Apeteceu vir andar pras bandas de cá, assim como apetecer voltar mais vezes!



Beijos!

Tecnenfermaginando disse...

udi!!

matou a charada do rm... já falei isso pra ele... de como é exigente... nossa!!


bem...

mto bom chegar aqui e ler palavras que confortam a alma...

"...dos conceitos que nos aprisionaram..."

prefiro ao seu bom senso em nos presentear com belos trechos assim a ler o livro.

bjo no coração, querida!!!

Udi disse...

Oi Amélie!
Bem-vinda! Então você é a outra moça que não é a Mara (...risos!)
Passei pelo "Lost..." ontem mas não o associei à sua pessoa. É bem bacana. Sabe quem tem umas idéias que talvez você goste? É a Érica, colaboradora daqui do Prozac também. Ela tem 2 blogs, um deles ("beijo me liga") novíssimo e muito engraçado e o de mais tempo é o "Érica, com c" (ela também gosta do Xico Sá ...risos!)

Quanto ao rm... ele não é péssimo! ...vocês, meninas, é que o enlouquecem (...risos!)

volte mais vezes!

Udi disse...

Teresa, queridíssima!
Vou postar mais alguns trechos do livro. Obrigada pelo incentivo.
E... bem, creio que só uma parte da charada.

beijos e boa sorte prá você hoje, amiga!

Amanda Arthur disse...

Udita, querida!
Um dia ainda vou fazer algo assim e incorporar a meditação em minha vida.
Em proporção muito menor, já há uns 6 anos adotei o silêncio como companhia em momentos que costumava dividir com o rádio, com a TV.
E como ele me faz bem! Por outro lado, desenvolvi certa sensibilidade (pra não dizer intolerância!) ao barulho, ao som alto... Efeito colateral da alto medicação, suponho. Preciso achar o equilíbrio e provavelmente alguma orientação ajudará. Vou colocar este item na minha "wish list" sentimental.
Beijo!

Udi disse...

Amandita, querida!
Tão jovem e tão sábia!
Quem me dera, ter adotado o silêncio ainda assim na flor da idade!(..."flor da idade" é coisa de old lady, nénão? ...risos!)
beijos saudosos

Érica disse...

comentário apressado na correria do dia:
mas desprender-se TOTALMENTE de emoções não nos transforma em vegetais?

(vc sabe que sou mega adepta da meditação e tal e tudo, mas não sei, pensei isso... rs)

bjo corrido

Érica disse...

óiaaaaaaaaa, eu, sendo apresentada!
Oi, Amélie, Érica soy yo e serás bem vinda nos blogs!

Beijo, me lê!

(Udinha: FU-E-FA! Tks pelo marketing. Pagamentos em cervejas!)

Flavio Ferrari disse...

Eu também viajei ... fui para a Esbórnia ...

Flavio Ferrari disse...

Udi: o RM está por aqui ... cuidado com a ortografia ...

Udi disse...

É!rica-Flor,
que bom que apareceu alguém prá polemizar!
Cê acha que alguém - escorpiana como sou - iria querer virar vegetal?!
Libertar-se das emoções não significa ficar sem, florzinha!
Please! continue polemizando!
beijo, me liga! ;)

Udi disse...

É!rica-flor! Na verdade, não fix marketing algum... quis apenas linkar 2 alminhas muito parecidas.
bj

Udi disse...

FF maninho, já estava ficando preocupada pela ausência do teu comentário.
...e obrigada pelo alerta! (...risos!)
bj

Walmir Lima disse...

Beleza de postagem.
Me deixou ansioso pela continuação.

Udi disse...

Oi Walmir!
tarrrda mas num farrrta!

assim messs, num caipira bem de Garrrrça. (risos!)