sábado, 14 de julho de 2007

Ponto de vista (Elane Tomich)

[Postado por Raquel Neves de Mello]

Você tem um ponto de vista,
eu tenho a vista num ponto,
na linha que faz o horizonte
cama onde o céu ama o mar.

Por mais que eu lhe dê uma pista
você faz da vida um conto,
e eu, da vida, um romance.
Amor tem pra mim longo alcance,
você acaba de pronto.

Por mais que da gente eu lhe conte,
de nós você tem outro lance.
Meu jeito é a perder de vista,
seu jeito é olhar de relance.

7 comentários:

Ernesto Dias Jr. disse...

Muito, muito bom. O tipo de poema que gosto.

disse...

Raquel:
Você garimpa poemas
Ouro puro...
Demais!

Anne M. Moor disse...

Maravilhoso! Mostra tão bem as diferenças enfrentadas nas relações... Lindo... Adorei...

Walmir Lima disse...

Puro exemplo de vida: a dualidade que faz 'um' e evita a mesmice - dá tempêro, desafia e excita. Puro valor de poesia e puro valor de quem a descobriu e sentiu. Parabéns, Raquel. Amei!

Flavio Ferrari disse...

O poema é realmente muito bacana.
Chato é que eu me identifiquei mais com o personagem do que com a narradora ...

Marcia disse...

Raquel
Adorei o poema....ele dá o q pensar...

Udi Tarora disse...

Bacana! Só a constatação, sem queixas.
...e, Flávio, que mal há em ser o personagem?