quinta-feira, 12 de junho de 2008

Dia dos Namorados

[Postado por Raquel Neves de Mello]

Hoje é o Dia dos Namorados. Ou o dia de se dar perfumes, bombons e flores. Mas eu prefiro encarar o dia de hoje como o Dia do Amor. Amor romantico, amor sensual, amor fraterno, amor paternal. Todo tipo de amor. E como é difícil amar.

O amor exige preparo e dedicação. Experiência conta muito. Quem não conheceu o amor quando ainda criança, vai ter dificuldade em amar na idade adulta. Não que não vá conseguir, mas fica mais difícil para aprender.

Quem não foi protegido, cuidado, mimado, quem não ouviu palavras de incentivo e de carinho, quem não foi beijado e abraçado, não experimentou o que é o amor.

Mesmo quem já teve tudo isso, mas não se preparou para o amor, não vai saber o que fazer quando o ser amado não corresponder as suas expectativas e vai se frustrar. Amar exige muito preparo.

E ainda que se tenha preparo e experiência, tem dias que dá vontade de desistir. E pra não desistir é preciso dedicação. Pra começar tudo de novo.

A todo vocês do Prozacafe, meus antigos e novos amores, um Feliz Dia dos Namorados.

14 comentários:

Anne M. Moor disse...

Obrigada Raquel querida!
Nem preparo, nem experiência... A cada vez é diferente... :-)

Ernesto Dias Jr. disse...

Amém!

disse...

"Qualquer maneira de amor vale a pena,
qualquer maneira de amor, vale amar...." (M. Nascimento)
Post delicioso.
Um beijo.

Érica disse...

e que novas oportunidades de amar e sermos amados apareçam todos os dias!

Walmir Lima disse...

Como você disse:
...E como é difícil amar...
...Amar exige muito preparo...

E como concordo!
Nessa vida efêmera somos todos meros e 'eternos' aprendizes.

Carlitos disse...

Estoy de acuerdo con Anne, ni preparación ni experiencia. Cada persona es un mundo diferente. El amor requiere trabajo, en cambio la pasión es espontánea. Ideal amor con pasión. Pasión sin amor garantiza sufrimiento. Amor sin pasión da paz pero nada de guerra. La pasión es el condimento ideal del amor

Flavio Ferrari disse...

Vocês tem consciência de quanto pode ser bom para um relacionamento não se sentir na obrigação e nem ter a necessidade de comemorar o dia dos namorados ?

Anne M. Moor disse...

Sim... O amor independente de props comerciais com dias especiais. Ou é, ou não é...

Jorge Lemos disse...

Curioso: devo ter levado muito a sério este negócio de amar.
Meio século passou tão depressa...

Raquel Neves de Mello disse...

Anne,
Só muda a pessoa amada. O amar é o mesmo, seja amar um filho ou um homem. Por exemplo, quem só conhece o amor-apego, vai tentar escravizar os filhos e vai tentar escravizar os homens. Alguns vão se deixar escravizar, outros não. Aí vai parecer que cada experiencia é diferente, mas não é. A reação do outro a esta forma de amar é que é diferente. Felizmente.

Raquel Neves de Mello disse...

Lu e Erica,
Quanto mais oportunidades nos damos de amar, o colega de trabalho, o bichano em casa, a vizinha, mais nos aperfeiçoamos na arte de amar. Porque "qualquer maneira de amor, vale amar".

Raquel Neves de Mello disse...

Walmir,
Tenho exatamente a mesma impressão: de que vamos passar pela vida tendo amado muito, mas com ainda muito o que amar. Mas, felizmente, tendo aprendido mais a cada dia. Serei feliz quando puder dizer o mesmo que o Jorge: "levei muito a serio esse negocio de amar".

Raquel Neves de Mello disse...

Carlos,
Paixao é desejo, é posse, e, se nao amadurece e se transforma em amor, vira sofrimento e infelicidade. Não é a toa que se chama de "a paixao de Cristo", os passos dele ate o Calvario. Eu falo do amor universal, muito mais dificil do que a paixao. Eu falo do amor que cuida, nao do que domina; do amor que ajuda a crescer, nao do que torna dependente; do amor que respeita, nao do que humilha. Mas isso tudo é so teoria. Na hora de amar, tô mais pra Judas do que pra Cristo.

Raquel Neves de Mello disse...

Flavio,
A única obrigação do amor é ser verdadeiro. É ou nao é?