quarta-feira, 18 de junho de 2008

VIP, VP e outras veleidades

[Postado por Flavio Ferrari]


Todo mundo quer ser importante.
Alguns traduzem a noção de importãncia em cargos e títulos de poder.
Outros em tratamentos diferenciados, favores, benefícios.
Não nego que tudo isso pode ser bom, particularmente quando o benefício é evitar filas, ficar bem acomodado, ter mais liberdade para decidir a vida.
Mas boa parte das pessoas que fazem disso o sentido de sua vida querem ,simplesmente, parecer melhor do que os outros. Mostrar que são importantes.
Talvez porque não se sintam importantes.
E talvez não sejam mesmo importantes.
Afinal, o que é ser importante ?

9 comentários:

Anne M. Moor disse...

Boa pergunta...

Raquel Neves de Mello disse...

Ser importante é ser amado. O que essas pessoas querem é se sentir amadas. Através do mimo de estranhos.

Conheço formas bem mais saudáveis (e faceis) de ser amada. E de ser assim importante.

Suzana disse...

Ser importante é ser merecedor de alguma "ragalia",seja atenção, carinho,afeto,salas vips, etc...
Ser importante é destacar-se, de alguma forma, em algum lugar ou a alguém.


Como dizem por ai:
- " È o cara ! "

Suzana disse...

regalia

Ernesto Dias Jr. disse...

Ter um VIP card no coração de alguém...

A.Tapadinhas disse...

O mal não está em ser importante mas na importância que lhe damos.

Abraço.
António

Anne M. Moor disse...

Concordo com a Raquel. Sentir-se importante é sentir-se amado. O 'problema' é a maneira que algumas pessoas usam pra chegar ao seu objetivo de ser amado...
Beijos de bom dia a todos

Érica disse...

vou ser repetitiva e até pular a parte das facilidades em filas e afins para dizer o que, "mais romanticamente", me ocorreu:
você torna-se importante para o outro quando toca a sua alma, quando CATIVA...

"Minha vida é monótona. Eu caço as galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens se parecem também. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é
inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo..."


(trecho de "O Pequeno Príncipe")

Érica disse...

ah, quem estava falando das galinhas, era a raposa. (lendo agora me pareceu um pouco estranho...)