domingo, 7 de outubro de 2007

Tropa de elite #2

[Postado por Carol Dias]

Quanto tempo que não passo por aqui hein???
O post do tropa de elite me fez lembrar quando fomos assistir Cidade de Deus.
Mocinha do cinema:
- Tem o Cidade de Deus, um otimo filme da realidade brasileira.
Minha mãe:
- Não, obrigada. Jornal Nacional é de graça lá em casa.
hauahauahauahauah :)

7 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Não assisti Cidade de Deus porque tive a mesma impressão ...
Tropa de Elite é bacana. Pinta um quadro de natureza viva.
E não tem final feliz, viu Ernesto.
Eu também costumo detestar filmes que não tem final feliz (detestei o "A vida é bela").
Mas esse dá para encarar.

É! disse...

eu não gosto de filmes ROMÃNTICOS sem final feliz... do resto, estou preparada!
Não some, Carol!

disse...

Eu acho que um filme é muito mais do que só sua estória.Quantas tipos de categorias de premiaçoes existem pra um filme só?
Cidade de Deus, que aborda o velho ´e tão batido clichê da violência que a gente já tá de saco cheio de ver (e ninguém tomar medidas eficientes pra resolvê-la, embora todos saibam quais são a médio prazo ), tem um roteiro amarrado de modo inovador e brilhante. Esse é o grande barato do fime prá mim.
Assim como o "lendário" Orson Welles fez em cidadão Kane, o excelente Tarantino em Pulp Ficcion(que tem todas as outras coisas inovadoras além do roteiro), Meirelles escolheu um tema mais que banal pra nós, mas com tanta arte e inovação no roteiro, que faz do filme um marco no cinema brasileiro.
Quanto a "Vida é bela", aquela última cena do tanque americano chegando e salvando tudo no final, me fez sair do cinema rindo com ironia, mas admirando o comediante italiano que é o autor (me parece que tb o diretor ) do filme. Puxou o saco, levou o oscar, embolsou os dólares,o que prova mais uma vez a inteligência dos que escrevem humor.Vida é Bela é um filme muito triste e chato.
O filme italiano bom dos ultimos anos que pude assistir foi "O carteiro e o poeta".

Ernesto Dias Jr. disse...

Carol:
E sua mãe não é exatamente alienada, engajada que anda nas passeatas da vida. Pelos professores.

Flavio:
Você me convenceu. Esse "dá pra encarar" é definitivo, vindo de você.

Lu:
Ia responder, mas vai ficar comprido. Depois faço uma postagem comprida e chata lá no Assertiva.

É! disse...

"O carteiro e o poeta" é lindo!!!!
Boa lembrança, Lú!

Anne M. Moor disse...

Eu assisti Cidade de Deus. O filme, como diz a Lu, é fantástico, mas muito pesado e triste!!

tania disse...

ernesto voce esta equivocado como todos.eu nao estou engajada em passeata de professor, estou sim na da educação.como um todo.