domingo, 20 de janeiro de 2008

Não é assim um Jorge Lemos, mas ...

[Postado por Flavio Ferrari]

Ah ...
como é bom amar
sem enlouquecer
enlaçar
envolver
possuir
e devolver
respirar juntos
até o alvorecer
é com intensidade
não com loucura
que eu quero viver

7 comentários:

Ernesto Dias Jr. disse...

Os amanheceres junto à amada, sobretudo quando raros, são inesquecíveis...

Jorge Lemos disse...

Não! Não escapou ao Príncipe
o curioso fato de que a poesia eterniza o momento; as palavras apenas registram para a posteridade a satisfação plena
da relação. Lindo! Possui todos os ingredientes clássicos que alimentam a alma!

Lê-se, na postagem, o valor da poesia!

Walmir Lima disse...

"...respirar juntos até o alvorecer..."

Amantes respiram junto, "respiram" amor - ar puro que inebria e enlouquece.
Beleza pura na expressão do poeta inspirado.
Parabéns, meu caro.

disse...

Jorge:
Penso que os momentos já são eternizados, a partir do momento que existiram.
Podemos ascessá-los em nossa memória e em nosso sentir.
O amor visto assim de uma forma atemporal é mesmo eterno: amando-se-se uma vez, ama-se sempre.
Basta, não querer aprisionar o tempo e interromper a dinâmica da vida.
Os poetas tem a capacidade maravilhosa de dar forma à beleza do momento.
Concretizam o abstrato.
Por isso os admiro tanto , e gosto especialmente dos que me são mais próximos.
Flávio:
Tem futuro menino. Vai bem...
Bj.

Anne M. Moor disse...

"(...)é com intensidade
não com loucura
que eu quero viver"

Eu também... será que é possível? Loucura no bom sentido tbm é bom...

Ti disse...

A entrega do momento,
a intensidade do sentir,
o presente como único instrumento,
do amor eterno a invadir...

É! disse...

Já descobri que meu forte é pesquisa, não poesia e descobri boas ferramentas para isso, aí vai:

"Vive a vida o mais intensamente que puderes. Escreve essa intensidade o mais calmamente que puderes. E ela será ainda mais intensa no absoluto do imaginário de quem te lê" Ferreira , Vergílio