sexta-feira, 4 de abril de 2008

[Postado por Reinaldo Ortega]


ESCOLINHA DO CHAVES
por Reinaldo Ortega

É inegável que o Brasil navega tranqüilo na maré da economia global aquecida e com os ventos favoráveis de uma economia interna estável, passando ileso pela marola da crise norte-americana e, nesse barco Lula vai de primeira classe. E até aqui, nada de mais.
Porém, negando veementemente que tenha interesse na possibilidade de um terceiro mandato, Lula segue em clara campanha eleitoral pelo país. Se isso não fosse contraditório por si só, o vice-presidente José Alencar faz uma declaração que sugere que o presidente não deve sair do barco no próximo porto, aproveitando os bons ventos.
Nessa mesma direção, o deputado Devanir Ribeiro do PT de São Paulo defende uma emenda constitucional que permita o terceiro mandato.
Como na “democracia” venezuelana o governo brasileiro demonstra que acredita que não há ninguém capaz de comandar o país, e com esse argumento, tenta se perpetuar no governo, usando o próprio sistema democrático para atingir esse objetivo.
Se o terceiro mandato tornar-se constitucional, o argumento do povo querer que o atual presidente continue no poder se confirmará ao módico custo de trinta reais por voto da grande maioria de eleitores.
Mas se depois de tanto negar Lula for novamente candidato a presidência, poderá se justificar usando uma frase do célebre filósofo homônimo do presidente da Venezuela: “Foi sem querer querendo”

5 comentários:

Ernesto Dias Jr. disse...

A campanha já começou, meu amigo. E vai ser uma das mais sujas -- senão a mais suja -- de nossa história.

É! disse...

Óoootimo, Ortega, "meu filho"! e Chaves de barba = impagável!

Anne M. Moor disse...

Eu já estou fazendo as malas...

Walmir Lima disse...

É, meu velho Ortega, na casa de Lula a mamata pulula.
Se não, vejamos:
A "Sra." Andréia Schwartz, a cafetina que derrubou o ex-governador de Nova York, Eliot Spitzer, embarcou rapidinho de volta ao Brasil.
Aqui ela pensa, e vai, se dar muito bem. Com certeza vai virar capa de revista masculina, vai virar apresentadora de TV e, de quebra, arrisca que o nosso nobre Chefe das Forças Mamadas, se inspire no polêmico caso dela lá pelas terras de Bush e, para angariar mais alguns votos no chamado baixo meretrício, institua o "Bolsa Meretriz" no qual ela e a mãe de alguns vários políticos vão faturar mais uns trocadinhos às nossas custas - às custas dos "troxas" contribuintes.
Bem diz o Ernesto: Nesse país, pagar imposto não é uma questão de cidadania, é conivência.

zuleica-poesia disse...

AAii! Me dá um cansaço! Tenho que sacudir todas as minhas penas para procurar meu título de eleitor. Abraços.