sábado, 25 de agosto de 2007

Cavalgando os sentimentos...

[Postado por Amélia]

Nesta semana no curso de teatro me vi controlando minha emoção de uma forma racional e ao mesmo tempo intensa... Como é possível? Passar da agressão, ao apelo... da alegria, a tristeza...do amor, ao ódio com tanta maestria?

Conclui então que faço isto na minha vida... Cavalgo meus sentimentos, às vezes de forma intensa lembrando uma bela galopada. De outras de forma tranqüila e curta como um trotar pela montanha... E em outros casos em um ambiente escuro, frio, firme e ao mesmo tempo incerto, como a marcha em uma floresta...

Mas consigo controlar, mais rapidamente quando domesticado e conhecido ou com um trabalho intenso quando selvagem e desconhecido...

De que forma? Pelo otimismo de que tudo sempre pode melhorar, pela certeza de que devemos viver o presente e, principalmente, mantendo a minha sela que me acompanha pela vida, chamada por alguns de essência....

9 comentários:

disse...

Ti,
Esse post é uma pérola de otimismo racional(paradoxo?).Muito , muito bom.É daqueles que devemos agradecer ao autor, pq resgatamos em momentos especiais.
Obrigada e parabéns pela reflexão realmente inteligente, consciente, pragmática e cheia de confiança na vida.
Um beijo.

Jorge Lemos disse...

Ti, querida:
Já disseram...A Arte imita a vida!

Walmir Lima disse...

Ti,
Como Centauro, te digo: Benditos os corcéis que suportam no dorso as cargas dos sentimentos que carregamos.

Walmir Lima disse...

Vide Bertold Brecht:
"O mais difícil papel a ser representado é o papel da vida".

Anne M. Moor disse...

Maravilha Ti...
A vida é um paradoxo Lú... O texto da Ti mostra os tantos papéis que podemos ou tomamos ao desenrolar esse carretel...

Flavio Ferrari disse...

Ela é realmente brilhante nisso. Admirável capacidade. Essa é uma das característcas que fazem da Ti a pessoa excepcional que ela é.
Já eu, tenho a mesma relação com os sentimentos que tenho com os cavalos. Me contento se não for cavalgado por eles ...
Em ambos os casos, reconheço os benefícios de fazer uso de forças tão poderosas, que podem nos ajudar a chegar onde queremos.
E, em ambos os casos, sinto que não é correto fazê-lo. Mas esse sou eu e minha particular relação com as forças naturais.

É! disse...

Meus sentimentos ainda são meio indomados, hora saio correndo atrás deles, hora são eles que saem atrás de mim, mas a vida deve ser assim mesmo, né, com altos e baixos, cheia de emoções e por isso, maravilhosa!

Ti disse...

Lú e Anne,

Obrigada pelo carinho... Paradoxo total... Até hoje ainda não sei se sou mais racional ou mais emocional..

Jorge e Walmir,

É exatamente este o meu sentimento.

Flávio,

O bom de te conhecer é saber que tenho muito a aprender com você... É bom ficar despenteada de vez em quando!!!

Érica,

Que bom não sermos todos iguais!!

Udi disse...

Que bom mesmo, Ti!
Havia lido mas não tinha o que comentar... estou aprendendo o silêncio e o teu post foi um bom momento para praticá-lo.
Obrigada! beijo.