domingo, 19 de agosto de 2007

seria cômico se não fosse trágico

[Postado por Érica Martinez]



Na arte de representar
É preciso pouco para agradar
Basta um falso sorriso para o outro acalmar
Mesmo que seu coração esteja fraco a chorar

7 comentários:

Udi disse...

É sempre bom lembrar que representação na vida real pode acabar em tragédia ou, no máximo, tragicomédia...
(estou dramática?)

Anne M. Moor disse...

As Shakespeare would say:
Todo o mundo é um palco,
E todos os homens e mulheres meros atores:
Eles têm suas saídas e suas entradas;
E um homem a seu tempo faz muitos papéis,
Seus atos sendo sete idades.
(...)

Gui Ferrari disse...

Bem... eu sou homem e tenho já algumas entradas na minha peruca... hehehe

O teatro pode ter muitos objetivos...

Inicialmente o teatro surgiu na grécia por volta do século IV a.C., e era parte de uma festa para o deus do vinho dionísio, que ocorria todo ano na colheita.

Teoricamente uma festa muito feliz...

Tina disse...

Não é a vida tragicômica?

Flavio Ferrari disse...

"In vino veritas".
Não espere de mim nada além da verdade.
Ainda que minha verdade possa não ser a sua...
Ou, pior, que eu esteja mentindo para mim mesmo.

É! disse...

É...mas em certas situações é necessário "interpretar um papel" para o bem estar geral de uma nação, ainda que eu devesse "give a shit for everyone there"...
DETESTO.
Acho que aquela história do post do Gui + o comentário do Flavio sobre "as restrições do politicamente correto e a espontaneidade da ATITUDE" caberiam bem aqui...
"Vivendo e aprendendo a jogar"
Mas agora passou.
:-D

Ju disse...

Acho que mais difícil que interpretar um papel conveniente, é falar a verdade, mesmo que seja incômoda para muitos. Assim, damos a chance do outro ver quem somos e ainda que não goste, vai nos respeitar...
Mais dificil que falar a verdade pros outros é falar a verdade pra si, mesmo que vc não goste, vai saber se respeitar...:-)